Nadando contra a corrente da superficialidade com todas as minhas forças.

por bonita detox

Voltar-se para si pode ser violento para alguns em volta. As pessoas sempre cobram uma atitude expansiva e histérica de felicidade e afetação. Tudo o que desejo é pacificar meu cenário íntimo, mesclar-me com minhas felinas, aprender com elas os movimentos suaves e aguçar o senso de observação profundo, contemplativo. Os sentimentos estão tão diluídos nessa busca frenética pelo melhor clic no instagr.am, a melhor frase no Facebook, o status que muda para todo mundo ver. Como trocar de roupa na Praça da Sé ao meio-dia. É tudo tão superficial e tal como álcool na comida, evapora rápido. Quero correr pra dentro antes que eu comece a nadar nessa direção e me perca para sempre e comigo a esperança de ser singular. A melancolia adolescente tomou conta de mim, gracias. Vou pintar minhas unhas de preto e carregar nos olhos. Vou ouvir Radio Dept e só Radio Dept. Me enfiar embaixo do meu cobertorzinho novo da Santa Paciência (ô!), entrar em transes, me escutar, me escutar. Saber que meu telefone toca e que eu não desejo atender. Deixar meu coração inquieto, em uma estação de águas, fazendo banho de lama sulfurosa até eu entender que amor não se fabrica na cabeça. Aceitar que preciso me desintoxicar dos abraços efusivos das redes sociais, tentar dar mais abraços efusivos pessoalmente. Não ter pressa. Entender a saudade. Tomar do tempo o tempo necessário para viver o agora.

É sim, Nietzsche. Somente quem tem o caos dentro de si, pode dar à luz uma estrela bailarina.

Anúncios