Canja de galinha, conselho de mãe e cama

por bonita detox

Domingo, pede canja de galinha. Está nublado lá fora e cortei o dedo picando cebola. Se achei ruim? Não, adoro sangue e adoro me regenerar, me recuperar. E um corte é sempre uma chance visível de ver como o corpo reage bem. Eu tenho uma cicatrização mais do que excelente e lido bem com os impactos na alma causados por pessoas mal intencionadas, gente que duvida da minha palavra ou neuróticos sempre em busca de uma guerra que faço questão de lutar até a página 2. Fico mal um dia, no máximo dois. Depois rezar, chorar, tentar perdoar e esquecer. Não tenho carregado peso comigo e meu número de amigos e amores é BEM maior que esse petit-comité decadente. Quero levar uma vida cada vez mais simples, mais plena e mais vibrante. O caminho é desligar iPod e ouvir aqui dentro, buscar soluções boas em meio ao caos, tentar ser melhor. Melhor para mim. Então, bom domingo, boa canja de arroz integral, cenourinha, chuchu e vagem com franguinho orgânico desfiado. Vou beber chá de melissa e camomila e comer grapefruit de sobremesa. O que não mata, fortalece, como cita minha mãe, filósofa.

cenas do preparo. =)

Anúncios